Pergunta Simples

Pergunta Simples

Um podcast sobre comunicação. Assinado por Jorge Correia. Tudo começa com uma pergunta simples. As respostas é que podem ser mais difíceis.

Episodes

May 17, 2022 46 min

Escritora, cronista, dramaturga, poeta, actriz.

Trabalha com as palavras ditas e escritas para dizer.

Ou escritas para nos inquietar.

Cláudia Lucas Chéu tem como trabalho escrever.

Escreve para atores no palco ou na televisão.

Escreve também regulamente crónicas para a imprensa onde dá voz às suas próprias inquietações e problemas.

Sobre tudo os isto o programa de hoje.

Com algumas curiosidades: como se escreve uma telenovela?

Ou ...

Share
Mark as Played

Os dias passam e a guerra continua.

Está a acontecer o que sempre nos acontece: cansado-nos da repetição das notícias.

Aconteceu com a COVID-19, acontece com a Ucrânia.

Os picos de atenção e reação descem com o tempo.

Até poderia ser uma coisa boa, se a guerra estivesse a um passo da paz.

Todas as guerras terminam em paz.

Releio a frase e, se fosse completamente rigoroso, diria: todas as guerras passadas terminaram num acordo de p...

Share
Mark as Played

Fazer reportagem de guerra é uma arte jornalística que exige coragem, sangue-frio e bom senso.

Diariamente há que enfrentar um dilema complexo: o que se mostra e o que se evita. O que se relata e o que se guarda só para nós?

As grandes histórias do jornalismo tem um sinal em comum: o drama da condição humana.

As histórias de vida e de morte, de desgraça e de superação são as que mais impacto tem na nossa mente.

Conta-se, quase com...

Share
Mark as Played

Vamos ficar mais ricos ou mais pobres?

Suspeito que a resposta não seja fácil de dar.

Talvez seja mesmo impossível.

Por mais que os economistas saibam, por melhores computadores e dados que tenhamos, a economia depende de algo incontrolável: a expectativa.

E a comunicação, em particular a perceção, joga um papel-chave.

Aprendi nesta conversa que em economia o futuro interfere com o passado. Parece estranho. Mas de facto se cada um ...

Share
Mark as Played

Viva a Liberdade!
Viva o 25 de Abril!
Não tarda nada e comemoramos os 50 anos da revolução.
Hoje é dia de falar do papel da comunicação e do seu contributo para a Liberdade.
Sim, é dia de falar de liberdade de expressão, de jornalismo e de mensagens que marcaram o 25 de abril de 1974.

Com a “voz” do 25 de abril.Às 4 da madrugada do dia 25 de abril de 1974, esta voz anunciou a revolução,
Portugal celebra já hoje mais dias a viver em demo...

Share
Mark as Played

A inquietação.

A inquietação que nos desassossega.

Pode ser ansiedade. Pode ser medo. Pode ser até depressão.

Não sei se vos está a acontecer, mas as notícias da guerra, em filme contínuo, provoca-me uma tensão na cabeça.

Primeiro a surpresa do início da invasão à Ucrânia.

A estupefação de ver um país invadir outro. Da ideia de guerra na Europa sair de qualquer possibilidade sensata.

Os dias passam. As notícias de coisas terríveis ...

Share
Mark as Played

Estamos na semana da saúde.

Dia 7 de abril é o Dia Mundial da Saúde.

Não precisávamos de uma pandemia para nos lembrarmos quão importante é a nossa saúde.

E agradecer o facto de vivermos num país com um dos sistemas de saúde mais avançados do mundo.

Sim, estamos sempre a reclamar.

Sim, aborrece-nos que nem todas as pessoas tenham médico de família.

Ou que a consulta do especialista demore mais do que esperávamos.

Mas o SNS, os hos...

Share
Mark as Played

O olhar de um cirurgião de guerra português sobre o trabalho dos médicos em situação de catástrofe como as guerras e conflitos, mundo fora.

A guerra na Ucrânia é apenas mais uma para Nelson Olim.

Médico-cirugião português com passagens pela Cruz Vermelha Internacional e agora Organização Mundial da Saúde.

Ele, como ninguém, aprendeu que o bisturi consegue reparar alguns feridos, mas nunca todos.

Como cirurgião de guerra responde no...

Share
Mark as Played

Hoje é dia de tirar-vos a “pinta”.

Conhecem a expressão: tirar a “pinta”?

Ou, de forma mais descritiva, é um programa que explica alguns dos mistérios da avaliação quase relâmpago que fazemos das outras pessoas.

Quando comunicamos somos imediatamente avaliados pela nossa audiência.

Seja uma plateia gigante ou simplesmente um só interlocutor.

Comunicar não é um simples momento em que debitamos palavras. Ou em que pensamos, falámos e...

Share
Mark as Played
March 15, 2022 69 min

É preciso dar espaço à Paz.

Levamos 19 dias de guerra na Ucrânia.

Com incontáveis vítimas.

Mortos, feridos.

Militares e civis.

Com imagens chocantes em todo o lado.

Somos diariamente encharcados com histórias, relatos, visões do horror.

Para fugir à guerra centenas de milhares formam uma coluna de refugiados para dentro das fronteiras da União Europeia.

A guerra é feia.

Nesta edição procuramos com Mónica Dias perceber o tabuleiro d...

Share
Mark as Played
Guerra. Dizer a palavra arranha-me a garganta. Fui tentar compreender a guerra. Rapidamente percebi que o nevoeiro da guerra nos impede de saber muitas coisas importantes. Num conflito a verdade é sempre uma vítima. As partes envolvidas tem objetivos, narrativas, caras, ações e intenções. A informação, contrainformação e a propaganda são armas usadas deliberadamente na contenda. A conversa de hoje tenta chegar...
Share
Mark as Played
As alterações climáticas são um tema sério e sentido diariamente. Apesar de tudo, fingimos preocupação, mas pouco fazemos pessoalmente. Por que razão não estão as mensagens do clima a ser eficazes? Neste inverno em que faz sol. Demasiado sol. E quase nada de chuva. Vemos a consequência: seca. Com isso começamos a perceber melhor aquilo a que os mais entendidos chamam alterações climáticas. O tema é sério. E ...
Share
Mark as Played
As máquinas eleitorais são uma das coisas que mais me fascinam. São na prática organizações políticas, com ideias e pessoas que querem convencer os seus concidadãos que tem uma forma melhor de resolver os problemas de todos.A máquina pode ser quase unipessoal, com a das candidaturas às juntas de freguesia. Como o candidato, a mulher, os filhos e pouco mais.Ou ser grande, nacional e envolver milhares de pessoas. Desde militantes, qu...
Share
Mark as Played
Ganhar três maiorias absolutas é obra.E o feito não está no currículo de nenhum político, mas sim de um homem da comunicação. Luís Paixão Martins era o estratega da comunicação do PS e do candidato António Costa nas últimas eleições.Dirá ele, entre a sua visão da verdade, alguma humildade e uma fina ironia, que apenas foi o consultor.Como se alguém, que não ele, criasse o plano de batalha de comunicação que levou à maioria absoluta...
Share
Mark as Played
February 8, 2022 48 min
Hoje vamos falar muito do silêncio.De fazer perguntas a quem já não consegue responder de viva voz.Mas dá respostas. E essas respostas são pistas para descobrir a verdade.Caminhos que explicam o que aconteceu a alguém num determinado momento.Sim, hoje vamos falar de ouvir os mortos.Mas não só.Todos já vimos as séries com os CSI nas televisões.O trabalho da polícia cientifica é muito esse: descobrir pistas, contextos, tempos e facto...
Share
Mark as Played
February 1, 2022 35 min
Saber a causa das coisas é um dos principais motores da curiosidade humana.As dúvidas filosóficas são uma maneira de organizar o nosso mundo.Quem somos?De onde viemos?Para aonde vamos?Mas convidar um filósofo para esta edição teve uma motivação inicial:Saber se estamos a usar bem as ferramentas do entendimento e decisão para construir um país melhor. Um mundo melhor. E chegamos a dois temas em que o filósofo Desidério Murcho tem...
Share
Mark as Played
Este é um programa cheio de histórias e narrativas cruzadas.Não fora a convidada uma jornalista, escritora e investigadora do jornalismo que se faz.Isabel Nery escreveu, por exemplo, a biografia de Sophia de Mello Breyner e como doente, súbita e urgente, descreveu o que sentiu deitada numa maca, sem ninguém acertar com o diagnóstico.Durante vários anos escreveu na Visão.E escreveu num modo que junta factos, dos quais os jornalistas...
Share
Mark as Played
Como falamos e entendemos a pandemia? Como aceitamos ou protestamos contra as restrições? Como somos mais prevenidos ou pelo contrário mais avessos a medidas de proteção da saúde de todos nós.
Share
Mark as Played
O jornalismo de causas é um género pouco praticado por cá.São histórias de pessoas que de forma tantas vezes heróica conseguem superar-se dia a após dia. As histórias de superação são sempre atrativas para qualquer audiência.Tem sempre um condimento de vulnerabilidade extrema a par da superação. E nem todas acabam bem. Ou sequer ganham espaço na imprensa. Para conversar sobre estas histórias convidei uma boa amiga, jornali...
Share
Mark as Played
Este é o mês da campanha eleitoral.Dia 30 de janeiro vamos a votos.São as eleições legislativas.Vamos eleger 230 deputados.E desta eleição nasce o apoio ao governo escolhido para os próximos 4 anos. Então, o que nos dizem os políticos?O que nos dizem os candidatos?Os partidos?As correntes ideológicas? Os partidos políticos têm como objectivo principal chegar ao poder.E para isso precisam de conquistar votos dos eleitores.Para...
Share
Mark as Played

Popular Podcasts

    Current and classic episodes, featuring compelling true-crime mysteries, powerful documentaries and in-depth investigations.

    Crime Junkie

    If you can never get enough true crime... Congratulations, you’ve found your people.

    Morbid: A True Crime Podcast

    It’s a lighthearted nightmare in here, weirdos! Morbid is a true crime, creepy history and all things spooky podcast hosted by an autopsy technician and a hairstylist. Join us for a heavy dose of research with a dash of comedy thrown in for flavor.

    Stuff You Should Know

    If you've ever wanted to know about champagne, satanism, the Stonewall Uprising, chaos theory, LSD, El Nino, true crime and Rosa Parks then look no further. Josh and Chuck have you covered.

    Sympathy Pains

    Hosted by Laura Beil (Dr. Death, Bad Batch), Sympathy Pains is a six-part series from Neon Hum Media and iHeartRadio. For 20 years, Sarah Delashmit told people around her that she had cancer, muscular dystrophy, and other illnesses. She used a wheelchair and posted selfies from a hospital bed. She told friends and coworkers she was trapped in abusive relationships, or that she was the mother of children who had died. It was all a con. Sympathy was both her great need and her powerful weapon. But unlike most scams, she didn’t want people’s money. She was after something far more valuable.

Advertise With Us

For You

    Music, radio and podcasts, all free. Listen online or download the iHeart App.

    Connect

    © 2022 iHeartMedia, Inc.